top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Vídeos Uiara》Clima tenso em Borba: Hostilizada por garimpeiros, PF reage com bombas de efeito moral

POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA A OPERAÇÃO UIARA II (Mãe d'água)



A Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas e o IBAMA realizam a OPERAÇÃO UIARA II, que tem por objetivo a identificação, abordagem e inutilização de balsas/dragas que

operam a atividade de garimpo ilegal de ouro na calha do Rio Madeira.



A operação conta com a participação de 35 policiais federais do Amazonas, DF (COT-Comando de

Operações Táticas), GPI (Grupo de Pronta Intervenção) do PA, RR e RO, e 4 fiscais do IBAMA, é realizada

no marco legal da Lei 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais), Lei 8176/91 (Usurpação :de bens da União), e

objetiva também dar cumprimento a decisões judiciais que cassaram autorizações de lavra de ouro no Rio

Madeira, assim como atende a Recomendação expedida pelo MPF.



Durante a ação de identificação e destruição das Balsas/dragas que operação no rio Madeira, a polícia Federal chegou a ser hostilizada por garimpeiros e pessoas que são a favor da atividade do garimpo na região, e Polícias da PF dispararam tiros e usaram bombas de efeito moral das dispersar o grupo de pessoas que se aglomera no porto da cidade.


Veja vídeos







A ação operacional nesta data é sequencial à realizada no período de 27 a 29/11/2021, e objetiva localizar dragas de garimpo ilegal que estiveram envolvidas nas atividades de grande escala detectadas em

24/11/2021, na região de Autazes/AM, e que se evadiram para a região do município de Borba/AM, não sendo

alcançadas na primeira fase.



A SR/PF/AM esclarece que atualmente toda a atividade de lavra de ouro no Rio Madeira é ilegal e que, portanto, as ações objetivando a desintrusão dessa importante hidrovia federal continuarão a ser realizadas, assim como serão estendidas em 2022 a outras regiões de garimpo ilegal detectadas no Estado do Amazonas.

Tendo em vista as narrativas que permeiam o tema, que objetivam retirar o foco sobre a flagrante ilegalidade das atividades e desconsideram os gigantescos danos ambientais decorrentes destas, a SR/PF/AM determinou ao SETEC/SR/PF/AM (Setor Técnico Científico) a realização de estudo técnico inédito sobre a contaminação de mercúrio¹ no Rio Madeira, que teve início com a coleta de vestígios na região (água, sedimentos, fauna, flora e em cidadãos ribeirinhos).

Como resultado inicial do estudo foi elaborado o LAUDO DE PERÍCIA CRIMINAL FEDERAL (MEIO

AMBIENTE) N° 1357/2021-SETEC/SR/PF/AM, que detectou elevados índices de contaminação por mercúrio na água, no leito do rio, na vegetação e nos seres humanos que habitam as margens do Rio Madeira naquela

região.



Tais resultados científicos corroboram a necessidade das ações da Polícia Federal e demais instituições e órgãos parceiros na repressão ao garimpo ilegal no Rio Madeira, pois eventuais lucros decorrentes das atividades ilícitas são obtidos com o comprometimento direto da higidez (saúde) de milhares de pessoas que habitam a calha do Rio Madeira, e que dependem exclusivamente da água, agricultura e pescado viabilizados por essa hidrovia federal.



Resumo dos resultados:

Água – 16 a 95 vezes (1.600% a 9.500%) acima dos limites estabelecidos pela normatização do CONAMA.


Sedimentos – duas amostras com valores máximos de 47 a 120 vezes (4.700% a 12.000%) acima dos limites

estabelecidos pela normatização do CONAMA.


Cidadãos ribeirinhos – 6 indivíduos com concentrações de mercúrio em cabelo acima dos limites considerados

admissíveis pela OMS, uma delas com 3 vezes mais (300%).



População das cidades do AM na calha do Rio Madeira (Estimativa IBGE/2021) – Humaitá: 57.195; Novo Aripuanã:

26.443; Manicoré: 57.405; Borba: 42.328; Nova Olinda do Norte: 38.665; Autazes 41.005. Total: 263.041 pessoas.


0 comentário

Comments


bottom of page