top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

V√≠deo ūüďĻ O que estava escondido por tr√°s da seita "Pai, M√£e,Vida", que veio a tona ap√≥s morte de Djidja. Veja v√≠deo em que a v√≠tima √© filmada pela m√£e ap√≥s uso de ketamina


A morte de Djidja Cardoso, ocorrida na semana passada por suposta overdose de ketamina, deu in√≠cio a uma s√©rie de revela√ß√Ķes de crimes cometidos por membros da seita "Pai, M√£e, Vuda", comandada pela m√£e e irm√£o de Djidja.


Em um vídeo que comecou a cicircular nas redes sociais nesta segunda-feira,03/06, a ex-cinhacinha do Boi Garantido aparece estática no banheiro, após, segundo a mãe da vítima que filmava a cena, ter tomado três ampolas da droga.


 

A ketamina, também chamada de cetamina, é um fármaco de efeito anestésico utilizado para induzir ou manter anestesia, e no tratamento de dores intensas, segundo o Instituto de Psiquiatria Paulista.


 

Filho dizia ser Jesus e tinha rela√ß√Ķes com a m√£e que acreditava ser Virgem Maria


Dilig√™ncias e investiga√ß√Ķes desencadeadas ap√≥s a morte de Djidja identificaram a ocorr√™ncia de supostos crimes de

mortes, estupros, tr√°fico de drogas e muitos crimes ainda para serem solucionados.


Ademar Farias Cardoso Neto e sua mãe, Cleusimar Cardoso Rodrigues, eram os líderes da seita "Pai Mãe Vida" que chocou o Brasil nesta semana.

Filho dizia ser Jesus e tinha rela√ß√Ķes com a m√£e que acreditava ser Virgem Maria

A seita promovia rituais bizarros onde os participantes acreditavam que Ademar era Jesus e Cleusimar era Maria. Eles administravam uma rede de sal√Ķes de beleza em Manaus onde funcion√°rios eram obrigados a usar ketamina e outras drogas para continuar trabalhando. Esses rituais envolviam doutrinas extremas, onde a "purifica√ß√£o" exigia o uso de drogas e participa√ß√£o em cerim√īnias macabras.


A Familia

Dilemar Cardoso Carlos da Silva, ex-integrante do Boi Garantido do Amazonas, morreu v√≠tima de overdose. Ela era investigada pela pol√≠cia e acreditava ser ‚ÄúMaria Madalena‚ÄĚ na seita ‚ÄúPai, M√£e, Vida‚ÄĚ. Ademar √© o irm√£o de Djidja Cardoso, que acreditava ser ‚ÄúJesus‚ÄĚ. Cleusimar Cardoso Rodrigues era m√£e de ambos e acreditava ser ‚ÄúMaria‚ÄĚ.


Denuncias

Os relatos de estupro, aborto e cárcere privado partiram da família da ex-companheira de Ademar Cardoso.


Gabrielle chegou a pedir ajuda da fam√≠lia para ser internada e tratar o v√≠cio. Ademar injetava muita droga nela at√© perder os sentidos, aproveitando para ter rela√ß√Ķes sem o seu consentimento por muitas vezes. Em uma das vezes, ela foi resgatada ensanguentada, sangrando pela vagina, devido ao aborto que estava sofrendo, totalmente despida, estando h√° dias sem tomar banho, apenas se drogando enquanto a m√£e do criminoso dizia que era necess√°rio para a v√≠tima se curar.


Irmão e ex-companheira de Ademar foram vítimas da droga

Djidja e Scott foram v√≠timas do consumo cr√īnico de ketamina/ cetamina. Djidja morreu e Scott foi resgatada pela fam√≠lia


A investigação revelou práticas ainda mais perturbadoras, com animais como cobras e sapos sendo sacrificados durante os rituais da seita. Também foi descoberto que Cleusimar mantinha um relacionamento incestuoso com seu próprio filho Ademar. O inquérito policial revelou um vídeo perturbador em que uma criança da família pede para fumar maconha.



Ao ser presa, a m√£e foi flagrada com seringas da droga na vagina e tentou convencer o delegado a entrar para a seita para entender como funcionava.



A Operação Mandrágora investiga a morte de Dilemar Cardoso Carlos da Silva, Djidja Cardoso. A suspeita é que Djidja possa ter sofrido uma overdose devido ao uso indiscriminado da ketamina durante um dos rituais da seita religiosa liderada pela família.

 

ūüö®Reportagem do Fant√°stico revelou que a principal suspeita da causa da morte de Djidja Ribeiro, ex-sinhazinha do Garantido, √© o uso cont√≠nuo de uma droga injet√°vel de uso veterin√°rio.



 
O que os membros da seita pregavam

Eles induziam os seguidores a acreditar que, com a utilização compulsória da ketamina, iriam transcender a outra dimensão e alcançar um plano superior e a salvação.



Crimes cometidos pelo grupo que liderava a "Pai, M√£e, Vida".

O grupo responder√° por tr√°fico de drogas, associa√ß√£o para o trafico de drogas, coloca√ß√£o em perigo da sa√ļde ou da vida de outrem, falsifica√ß√£o, corrup√ß√£o, adultera√ß√£o de produtos destinados a fins terap√™uticos e medicinais, aborto provocado sem consentimento da gestante, estupro de vulner√°vel, charlatanismo, curandeirismo, sequestro, c√°rcere privado e constrangimento ilegal.


Aquisição da Droga que era utilizada pelo grupo

O inqu√©rito policial revela que Djidja, seu irm√£o Ademar e sua m√£e Cleusimar compravam esses anest√©sicos de cavalo na cl√≠nica MaxVet, frequentemente recebendo as subst√Ęncias por meio de motoristas de aplicativo. Al√©m da fam√≠lia Cardoso, funcion√°rios do sal√£o Belle Femme, incluindo Ver√īnica Seixas, Claudiele dos Santos e Marlisson Vasconcelos, tamb√©m faziam o uso da droga, influenciados pelos patr√Ķes.



O consumo excessivo da droga foi crucial para a morte de Djidja.

M√£e incentivava o uso de cetamina pela filha; "Ela dei tr√™s segungadas e agora ela est√° ganhando poderes, eu t√ī filmando ela", diz a m√£e ao filmar o sofrimento da filha.




Desfecho da Morte de Djidja

A pr√°tica da seita levou √† morte de Djidja Cardoso na √ļltima ter√ßa-feira (28), causando como√ß√£o nacional. Todos os envolvidos na seita j√° estavam sob investiga√ß√£o ap√≥s den√ļncias de outros funcion√°rios do Belle Femme. Caso Djidja estivesse viva, provavelmente estaria presa juntamente com Ademar, Cleusimar, Ver√īnica e Claudiele. Marlisson Vasconcelos, por sua vez, encontra-se foragido.

0 coment√°rio

Comments


bottom of page