top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

SES-AM alerta sobre os riscos e as consequências do hábito de fumar

Atualizado: 27 de abr. de 2023

Especialista explica que o vício causa dependência química e psicológica do consumo de nicotina presente nos produtos à base de tabaco

 

Fumar é um hábito que pode trazer graves consequências para a saúde. Apesar de os perigos do tabagismo serem amplamente conhecidos, muitas pessoas ainda não conseguem abandonar o vício. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) destaca as principais consequências causadas pelo uso do cigarro e, também, as medidas que podem ser tomadas para prevenir esses problemas.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. Isso porque fumar está relacionado a uma série de doenças graves, como câncer, cardiovasculares e respiratórias. A pneumologista Joycenea Matsuda, que atua na Policlínica Cardoso Fontes, alerta que existem mais de 50 doenças relacionadas ao consumo de tabaco.

 

“Estatísticas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam dez vezes mais risco de adoecer de câncer de pulmão, e de sofrer um infarto do coração ou derrame cerebral, além de desenvolver bronquite ou enfisema pulmonar”, disse a médica.

 

Crianças são particularmente suscetíveis ao tabagismo passivo e têm um risco aumentado de desenvolver doenças respiratórias, doença do ouvido médio e a síndrome da morte súbita infantil. Mulheres grávidas expostas ao tabagismo passivo correm um risco maior de terem um bebê natimorto, com malformações congênitas ou com baixo peso ao nascer, como complementa a profissional.

 

“Ao respirar a fumaça do cigarro, os não fumantes correm o risco de terem as mesmas doenças que o fumante. As crianças, especialmente as mais novas, são as mais prejudicadas”, explica a pneumologista.

 

Prevenção e controle

 

A melhor medida para as consequências do tabagismo, é basicamente parar de fumar. O tratamento do tabagismo envolve diversas estratégias, como terapia comportamental, medicamentos e apoio social. Além disso, é importante evitar o contato com a fumaça do cigarro em ambientes fechados e adotar hábitos saudáveis, como alimentação equilibrada e prática regular de exercícios físicos.

 

Acompanhamento

 

Para realizar o tratamento, o paciente pode procurar as unidades de atenção básica, onde serão encaminhados para os ambulatórios de tratamento ao fumante. Esses espaços fornecem o suporte profissional e medicamentoso necessário para cessação do tabaco de indivíduos que desejam parar de fumar. 

 

A SES-AM, por meio do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) da FCecon, realiza monitoramento através do Ambulatório do Fumante do Amazonas, mostrando o perfil dos tabagistas que são atendidos no estado. O FormSus aponta que a maioria dos tabagistas que procuraram atendimento nos ambulatórios foi de homens na faixa etária entre 18 e 60 anos. Na estimativa de 2022, de 413 pessoas atendidas na 1ª consulta, 180 chegaram sem fumar na 4ª sessão.

 

O DPCC é responsável por coordenar as atividades do Programa Estadual de Controle do Tabagismo, que inclui treinamento para profissionais que atuam nos ambulatórios de tratamento ao fumante, além de profissionais da área de educação para trabalhar os Fatores Externos de Risco do Câncer, cujo principal é o tabagismo.

0 comentário

コメント


bottom of page