top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Programa Amazonas Meu Lar chega a 122 mil pré-cadastros, em menos de um mês

O programa Amazonas Meu Lar está alinhado ao programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal e o processo de cadastro pode ser feito via site ou pelo aplicativo Sasi  


Menos de 20 dias após o início das inscrições, o Amazonas Meu Lar, maior programa habitacional da história do Estado, já ultrapassou os 122 mil pré-cadastros. Aproximadamente 75,5 mil inscrições foram realizadas por meio do aplicativo Sasi, enquanto 46,6 mil ocorreram pelo site específico do programa www.amazonasmeular.am.gov.br



O Amazonas Meu Lar integra a política habitacional do Governo do Amazonas e está sob a coordenação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb). O programa é executado pela Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) e Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), órgãos vinculados à Sedurb, além da Secretaria de Estado das Cidades e Territórios (Sect), responsável pela regularização fundiária. 



O titular da Sedurb, Marcellus Campêlo, destaca que o processo de inscrição eletrônico está fluindo bem, o que mostra que o sistema é acessível, conforme foi desenvolvido. “O grande número de inscritos mostra que o processo está fluindo naturalmente, dentro do planejado”, observa. 



A fase de pré-cadastro segue até 11 de outubro e servirá de base para um diagnóstico com os perfis dos inscritos. Com base nesse diagnóstico e nos critérios de vulnerabilidade social estabelecidos por meio de Decreto e portarias próprios, será criado o ranking de prioridade para acesso às linhas do programa que podem ser: o subsídio “Entrada do Meu Lar”, para quem vai financiar diretamente com a construtora ou, no caso das famílias em situação de vulnerabilidade social,  concorrer a unidades habitacionais construídas pelo Governo do Estado,  em parceria com o Programa Minha Casa, Minha Vida. 


Para participar do programa, o candidato não pode ter casa própria e deve estar dentro das faixas de renda estabelecidas: faixa 1 para quem tem renda bruta mensal até R$ 2.640 e faixa 2 para quem tem renda bruta mensal de R$ 2.640,01 até R$ 4.400. 



O diretor-presidente da Suhab, Jivago Castro, comemora o andamento do programa, e reforça que todos os interessados devem fazer o pré-cadastro, mesmo os que já recebem benefícios como o Auxílio Aluguel, do Governo do Amazonas, como é o caso das famílias do Monte Orebe e da Cachoeira Grande. Ele ressalta que, aqueles que têm inscrição antiga, precisam fazer o pré-cadastro. 


“O programa foi idealizado pelo Governo do Estado, buscando também atender famílias que estão há anos recebendo auxílio aluguel e aguardando uma solução definitiva. Mas é necessário que também realizem o pré-cadastro no Amazonas Meu Lar, seguindo o decreto que regulamenta as diretrizes do programa”, frisa. 



O objetivo, conforme explica, é formar uma base de dados única para todas as iniciativas voltadas para a questão habitacional do Estado.  

Orientações para o pré-cadastro 

O pré-cadastro deve ser realizado pelo aplicativo Sasi ou pelo site www.amazonasmeular.am.gov.br. Ambas as plataformas possuem manual auto-explicativo. 


Para garantir que todos os interessados tenham informações claras e precisas, o programa disponibiliza opções de canais de atendimento, incluindo chatbot com atendente virtual. Para isso, basta acessar o site e clicar em “Fale com a Mel”. Além disso, a Sedurb mantém uma central de plantão para responder, por e-mail, as dúvidas dos candidatos feitas pelo site, na aba "Entre em Contato". 



Outra informação importante é sobre os documentos obrigatórios  para o cadastro, tanto do titular da inscrição quanto dos dependentes, como é o caso do CPF. Os documentos estão descritos no formulário do pré-cadastro, devem ser enviados em formato PDF e estar legíveis. Não seguir esta orientação pode levar à invalidação do cadastro. Se documentos obrigatórios, como o título de eleitor, estiverem cancelados, é fundamental regularizá-los o mais rápido possível, pois isso também pode afetar a elegibilidade para participar do programa. 


O programa Amazonas Meu Lar pode considerar dados do Cadastro Único em seus critérios de seleção, a depender da linha de atendimento. Por isso, a orientação é que, quem for cadastrado, mantenha os dados atualizados, pois o programa usará a base de dados mais recente disponível para análise. 


Amazonas Meu Lar 

O programa Amazonas Meu Lar está alinhado ao programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, para atender famílias de áreas urbanas com renda bruta mensal de até R$ 4.400. O programa está estimado em R$ 4,7 bilhões, somando investimento do Estado, recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). 


A meta é ofertar 24.044 soluções de moradia e regularizar 33 mil imóveis.  


Mais informações sobre o programa estão disponíveis no site www.amazonasmeular.am.gov.br

 

Documentos obrigatórios 

 

•      RG, CPF e Título de Eleitor do titular e cônjuge (com a indicação do estado civil); 

•      RG e CPF dos dependentes do grupo familiar; 

•      Certidão de nascimento (para aqueles sem RG e CPF); 

•      Comprovante de estado civil, que pode ser a certidão de casamento, averbação do divórcio, ou declaração/contrato de união estável; 

•      Comprovante de residência contendo o CEP; 

•      Comprovante de renda de todos os que residem juntos; 

•      Laudo médico, se for o caso; 

•      Recibo de aluguel e/ou contrato de locação; 

•      Declaração do proprietário do imóvel contendo RG e CPF, caso resida na condição de cedido, coabitação ou submoradia; 

•      Documentação comprobatória de acompanhamento do órgão competente, no caso de situação de abrigo ou situação de rua; 

•      Documento do imóvel e/ou inventário, se residir em imóvel de herdeiros; 

•      Certidão negativa do SPC e Serasa, se for o caso; 

•      Procuração pública, em caso de representação; 

•      Cadastro Único (CadÚnico); 

•      Curatela, se for o responsável por algum candidato; 

•      Tutela, caso seja o responsável por algum integrante do grupo familiar menor de 18 anos (outra filiação e/ou familiares); 

•      Documentação comprobatória do órgão competente, no caso de área de risco, situação de emergência e/ou calamidade pública; 

•      Comprovação do recebimento de auxílio emergencial para custeio de moradia, se for o caso; 

•      Documentação comprobatória, no caso de mulher vítima de violência doméstica e familiar. 

0 comentário

Comments


bottom of page