top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Policlínica Codajás realiza acompanhamento em saúde para população transexual privada de liberdade

Criado em setembro de 2017, com 24 pacientes, o projeto “Processo Transexualizador” atende, hoje, cerca de 600 usuárias

 

Pacientes trans privadas de liberdade receberam atendimento em consultas e exames no ambulatório de Diversidade Sexual da Policlínica Codajás, órgão vinculado à Secretaria de Estado em Saúde (SES-AM), do Governo do Estado do Amazonas, na sexta-feira (14/04). Entre as ações, elas tiveram o nome social incluso no registro do Sistema Único de Saúde (SUS), atendimento ginecológico, testes rápidos de HIV, Hepatite B e C, Sífilis, exame físico completo, atendimento à saúde bucal, consulta psicológica e entre outros procedimentos ambulatoriais.

A coordenadora do Ambulatório de Diversidade e Gêneros, ginecologista Dária Neves, explica que o atendimento das mulheres transexuais privadas de liberdade é fundamental pelo acolhimento. “Temos uma parceria com a Seap, Ministério Público onde resultou este acompanhamento. É fundamental fazer a inclusão delas ao ambulatório, para que no momento em que estiverem em liberdade, elas darão continuidade no acompanhamento em saúde conosco”, declarou.

 

O diretor da Policlínica Codajás, o fisioterapeuta Rainer Figueiredo, ressalta que o Ambulatório, hoje, tem cerca de 600 usuários e usuárias LGBTQIA+ com cadastro fixo; e para 2023, a meta é que o número de usuários possa dobrar.

 

Ele explica que planejamentos estão sendo feitos para melhorar cada vez mais o atendimento, consultas e exames com a equipe multidisciplinar. “Nosso atendimento é porta aberta e trabalha toda inclusão e acolhimento para o público LGBT. Nossa equipe formada por ginecologistas, endocrinologistas, fonoaudióloga, psicólogas, enfermeiras, técnicas estão à disposição de toda a população”, finalizou.

 

Ambulatório

 

Criado em setembro de 2017, com 24 pacientes, o projeto “Processo Transexualizador” atende, hoje, cerca de 600 usuários e usuárias fixas, que recebem atendimento e acompanhamento por uma equipe multidisciplinar, formada por enfermeiras, assistentes sociais, psicólogos, ginecologistas, fonoaudiólogos, endocrinologistas e entre outras especialidades.

 

Acolhimento

 

Entre os atendimentos prestados, na equipe de enfermagem a paciente recebe toda orientação para tramitação do nome social, descrito no cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Na psicologia, a paciente tem consultas individuais e personalizadas. E no setor de ginecologia, endocrinologia e fonoaudiólogo, é realizado o manejo hormonal e acompanhamento da mudança de voz.

 

0 comentário

Commenti


bottom of page