top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Polícia Civil do Amazonas apreende mais de 7 toneladas de drogas no primeiro semestre deste ano

A PC-AM também enviou 6,7 mil inquéritos policiais ao Poder Judiciário e efetuou mais de 3 mil prisões


No primeiro semestre de 2023, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) apreendeu 7,1 toneladas de drogas durante operações policiais deflagradas na capital e no interior do Estado, voltadas ao combate e à desarticulação de organizações criminosas. Além disso, a PC-AM enviou 6,7 mil inquéritos policiais ao Poder Judiciário e efetuou 3.110 prisões, conforme dados da Divisão de Recebimento, Análise e Distribuição de Inquéritos (Drad).

A quantidade de drogas apreendidas somente nos primeiros seis meses deste ano já é quase superior a todo o ano de 2022, quando mais de 8 toneladas foram apreendidas.

O delegado-geral da PC-AM, Bruno Fraga, destacou que esses números são resultados de um trabalho firme no combate à criminalidade no Amazonas, tendo a Polícia Civil cumprido seu papel junto à segurança pública.


“Estamos apenas no primeiro semestre de 2023 e já alcançamos esses números extremamente positivos, que são fruto de muito trabalho por parte dos policiais da capital e do interior”, ressalta Fraga.


Conforme o delegado-geral adjunto, Guilherme Torres, essas grandes apreensões mostram uma polícia forte e atuante, que tem o compromisso de levar mais segurança aos amazonenses.


“Isso resulta na desarticulação de organizações criminosas, com diversas prisões, apreensões de entorpecentes e armamentos, que causam grande prejuízo”, enfatiza Torres.


De acordo com a Polícia Civil, as apreensões ocorrem tanto em via terrestre, principalmente em Manaus, como em via fluvial no interior, tendo em vista que o Amazonas está próximo a Tríplice Fronteira (Brasil, Colômbia e Peru), por onde é o principal corredor do tráfico de drogas que entra no país.


Prisões por homicídios

Entre as prisões efetuadas, 179 foram realizadas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), em decorrência de investigações de homicídios praticados no estado.


Principais apreensões

No dia 14 de março, o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), com o apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core-AM) deflagrou a Operação Oriente que resultou na apreensão de 634 quilos de maconha do tipo skunk, um fuzil 556, um carro e um jet ski, além das prisões de sete pessoas. A ação ocorreu no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) e no bairro Tarumã, zona oeste, e causou prejuízo de R$ 4 milhões ao crime organizado.

Ainda em março, policiais do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) apreenderam mais 400 quilos de skunk, e prenderam seis criminosos, durante ação no rio Solimões, nas proximidades do município de Tefé (a 523 quilômetros).

 

Já em 5 de maio, foram apreendidos pelo Denarc com o apoio da Secretaria Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), meia tonelada de maconha e cocaína avaliada em mais de R$ 8 milhões. Na ocasião também foram apreendidas armas de fogo, diversas munições, balanças de precisão e veículos. A ação ocorreu no bairro São José Operário, zona leste de Manaus.

 

Durante a Operação Queda Livre, deflagrada pelo DRCO no dia 25 de maio, foram apreendidos 300 quilos de maconha do tipo skunk. A apreensão ocorreu em uma aeronave que caiu com o material entorpecente no alto Rio Negro, nas proximidades do município de Novo Airão (a 115 quilômetros). A ação contou com o apoio da Core-AM, Delegacia Fluvial (Deflu) e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

 

No dia 1° de junho, a Operação de Volta ao Jogo, do DRCO, resultou na apreensão de duas toneladas de maconha tipo skunk e cocaína, além de cinco fuzis calibre 762, causando prejuízo de R$ 18 milhões aos criminosos. O material foi localizado em um caminhão de carga pesada, nas proximidades do porto da Ceasa, zona sul.


0 comentário

Comments


bottom of page