top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

PC prende casal por descumprimento de medida protetiva, maus-tratos, tortura e estupro de vulnerável

A ação está inserida na Operação nacional Caminhos Seguros, deflagrada nacionalmente pelo MJSP

 

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), prendeu, na segunda-feira (08/05), uma mulher, de 29 anos, e um homem, de 49, pelos crimes de descumprimento de medida protetiva, maus-tratos, tortura e estupro de vulnerável cometidos contra uma adolescente de 15 anos, que é filha do indivíduo. A prisão do casal ocorreu na rua Mozart Guarnieri, bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul de Manaus.

A ação está inserida na Operação nacional Caminhos Seguros, deflagrada nacionalmente pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes.

De acordo com policiais civis da Depca, os crimes ocorreram quando a vítima tinha 11 anos e, também, em 2022, já com 14 anos. As investigações apontaram que o pai da vítima juntamente com sua companheira a agrediram fisicamente, após descobrirem que ela tinha começado a namorar.

 

“A vítima estava com ferimentos não tratados e na escola se queixou de fortes dores. O Conselho Tutelar foi acionado e ela foi encaminhada à Depca, onde após escuta especializada, contou o que havia ocorrido e foi solicitada à Justiça uma medida protetiva”, informaram.

 

Entretanto, o pai dela tentou se reaproximar e descumpriu a ordem judicial, motivo pelo qual foi decretada sua prisão preventiva. “Durante diligências, conseguimos efetuar a prisão do casal no bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul”, relataram os policiais.

 

Procedimentos

 

O casal responderá por descumprimento de medida protetiva, maus-tratos, tortura e estupro de vulnerável. Eles ficarão à disposição do Poder Judiciário.


0 comentário

Comments


bottom of page