top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

PC investiga se pousada no rio Apuaú era utilizada para comércio de vítimas de exploração sexual


A pousada fica localizada no rio Apuaú afluente do Rio Negro que faz extrema entre os municípios de Manaus e Novo Airão


O caso veio a tona depois que uma adolescente de 14 anos denunciou à polícia que era abusada sexualmente por uma homem de nacionalidade Alemã. A Jovem que gravou um dos abusos práticas pelo gringo, com a convivência de sua mãe, relatou que era abusada desde os 6 anos de idade.


A Denúncia Motivou a Prisão da Mãe da Adolescente

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), prendeu uma mulher, 37, pelos crimes de exploração sexual e estupro de vulnerável contra a sua filha, que atualmente tem 14 anos, mas era abusada desde os 06 anos.


A mulher foi presa acusada de vender a própria filha, de seis anos, para encontros sexuais com o dono de uma agência de turismo que atende visitantes europeus.


O caso foi revelado nesta sexta-feira (19-mai), pela titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Deapca), Joyce Coelho. Ela explicou que a menina, hoje com 14 anos, era vendida pela própria mãe, desde 2016, para encontros sexuais com o empresário do ramo de embarcações e turismo em Novo Airão.



Policiais foram até a casa do homem de 71 anos de nacionalidade Alemã para prendê-lo, mas descobriram que ele fugiu para a Alemanha. Outros dois suspeitos de favorecer a prostituição infantil foram detidos. Na casa dos suspeitos foram apreendidos aparelhos celulares, uma algema sexual, notebooks, cartões de memória e uma câmera e fitas de vídeo que serão analisadas pela polícia.



Por conta da gravidade das acusações, a polícia do Amazonas vai pedir apoio da Polícia Federal para localizar o suspeito na Alemanha. Objetivo é trazê-lo de volta ao Brasil para dar explicações.


A mãe da garota foi ouvida em audiência de custódia e depois encaminhada ao sistema penitenciário.



A prefeitura de Novo Airão informou que o Alemã, ao contrário do que foi divulgado em alguns meuos de comunicação, não é operador de turismo no município, pois não é cadastrado nos órgãos competentes e que geograficamente a pousada do suspeito nao está localizada no município. A prefeitura irá se manifestar ataves de seu setor jurídico sobre a citação do município como base de atividades do Alemão.


A menina gravou um encontro com o abusador para denunciá-lo. Após tentar inúmeras vezes avisar a família paterna dos abusos que sofria e nao ser ouvida, a menina decidiu procurar a polícia para denunciar os abusos que sofria há oito anos. Com apoio de uma tia paterna, a garota filmou um dos encontros com o empresário alemão. O material serviu para confirmar o crime de abuso sexual.


“Quando fez 14 anos, a garota se revoltou com a situação e revelou os abusos para uma tia paterna, que ajudou a colocar um fim nos abusos”, explicou a delegada Joyce Coelho.



De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da unidade especializada, a mãe explorava sexualmente a filha em troca de dinheiro, presentes, além de outros bens materiais.


“O caso trata-se de uma exploração de comércio onde há uma troca da parte de quem oferece e da pessoa que comete o delito. Além da mãe da vítima, outros membros da família também tiravam vantagem da situação”, informou Joyce.



Conforme a delegada, a vítima tentou informar diversas vezes a sua família paterna, mas como em outros casos, não foi dada atenção necessária. Segundo a titular da Depca, é muito comum pensarem que o que está sendo dito pela vítima não seja verdade, tanto é que neste caso, a adolescente precisou gravar o momento do crime.


Durante a ação policial na casa da infratora, no bairro Colônia Terra Nova, zona norte de Manaus, foram apreendidos aparelhos celulares, notebooks, computadores, além de objetos de cunho sexual que eram usados nos atos libidinosos.


Investigação

O homem que abusou da menina possui uma pousada no município no rio Apuaú entre os municípios de Novo Airão e Manaus. As investigações seguirão para averiguar se o local era usado para o comércio de vítimas de exploração sexual.



“Acreditamos que além dessa vítima, possam existir outras, bem como outros autores. Vamos averiguar todo o material apreendido”, disse Joyce Coelho.


A mulher foi presa preventivamente por exploração sexual, e passará por audiência de custódia, onde permanecerá à disposição da Justiça.


O caso vai ser matéria do Fantástico neste domingo




0 comentário

Comentarios


bottom of page