Buscar
  • Adauto Silva

MPU: Prosamim, 12 anos de um sonho que virou pesadelo para 96 famílias

Por Mazinho Bezerra


HOJE 4 DE JULHO DE 2020, COMPLETAM 12 ANOS QUE 96 FAMÍLIAS MANACAPURUENSES FORAM ENGANADAS.


Hoje 4 de julho de 2020, o maior 'estelionato eleitoral cometido no Município de Manacapuru completa 12 anos.


O INICIO DO CRIME.


Durante a campanha eleitoral de 2008, 96 famílias foram retiradas de suas residências localizadas nas Ruas Tamandaré e 10 de julho, com promessas  de que no local seriam construídos  cinco blocos com 32 apartamentos cada um.



A primeira empresa responsável pela construções dos apartamentos era a Metacon Construções, Montagens e Comercio Ltda,que iniciou a obra e deveria entregar em 360 dias a partir de 4 de junho de 2008, mas não concluir, depois foi substituita por outra empresa, que também não terminou a construção dos apartamentos.


PARAÍSO


Varias reuniões foram realizada com os moradores que eram induzidos acreditar, que após a construção dos apartamentos, eles iriam morar no paraíso. A mentira não parava por ai, além dos prédios com os apartamentos, nas reuniões os moradores eram informados que o local ganharia '



uma praça, um playground e toda área seria gramada e arborizada, uma estação de tratamento de efluentes seria instalada para receber toda a água utilizada pelos moradores que depois de tratada voltaria para o canal totalmente limpa.Era o paraíso prometido, mas tudo não passava de mentiras.



PALESTRAS DA ENGANAÇÃO.


Para que a enganação fosse convicentes,palestras eram dadas aos moradores onde

vídeos eram mostrados como seria a vida deles depois da conclusão da obra. Com essas propagandas mentirosas, as famílias retiradas do local eram levadas a acreditar que tudo isso ocorreria, mas

passados 12 anos  e nada disso aconteceu e não passavam mentiras.



NA CAMPANHA ELEITORAL DE 2012 MAIS UMA VEZ A OBRA FOI USADA PARA ENGANAR.


Depois de serem enganados por 5 anos, mais uma vez na campanha eleitoral de 2012, a obra parada foi usada para ludibriar os moradores por um candidato a prefeito que mais uma vez prometeu se eleito fosse( e foi),que no primeiro dia de sua administração estaria no local da obra e sentaria o primeiro tijolo para começar a conclusão dos apartamentos e mais uma vez a mentira prevaleceu e nada da obra ser concluída.



IMPRENSA


Muitas materiais para jornais impressos e televisão foram feitas na tentativa de pressionar os responsáveis a uma solução para conclusão da obra. O agora governador do Amazonas, Wilson Lima, na época apresentador do programa Alô Amazonas também fez matéria sobre a obra do 'Prosamim de Manacapuru'. Até um Comissão Parlamentar de Inquérito )CPI) foi instaurada pela Câmara Municipal de Manacapuru para apurar irregularidades na obra.


BLOQUEIO DE BENS.


No final de dezembro de 2011 a Justiça Federal no Amazonas determinou, em caráter liminar, o bloqueio de um apartamento de um ex-prefeito de Manacapuru, que tinha sido cassado , e dos valores depositados em contas bancárias dele e de outros seis réus em ação cautelar preparatória ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público.


CONDENAÇÃO.


De acordo com o site do Tribunal de Contas da União (TCU), o órgão pretendia pedir a devolução de R$ 7.068.322.95 ( SETE MILHÕES, SESSENTA E OITO MIL, TREZENTOS E VINTE E DOIS REAIS E NOVECENTA E CINCO CENTAVOS), aos responsáveis pela obra.



Em 13 de abril de 2016, o Ministro do Tribunal de Contas da União( TCU) André Luis de Carvalho condenou um ex-prefeito a pagar uma multa no valor de R$ 1.000.000.00( UM MILHÃO DE REAIS) por irregularidades na obra.


ATÉ PLACAS SOBRE AS OBRAS FORAM USADAS PRA ENGANAR.


Duas placas com alterações no valor e prazo de conclusão foram colocadas nesse período de enganação.


PRIMEIRA PLACA.


A primeira placa colocada,informava que o inicio da obra era, 4 de julho de 2008, e no valor de R$ 10.072.920.87( DEZ MILHÕES,SETENTA E DOIS MIL, NOVECENTOS E VINTE REAIS E OITENTA E SETE CENTAVOS. O prazo de conclusão, era de 360 e seria entregue em menos de 1 ano ou seja em 2009. A primeira empresa responsável era Metacom Construções e Comércio Ltda.


SEGUNDA PLACA.


Cinco anos depois, apos a eleição de 2008, veio a eleição de 2012, e novamente a obra foi usada na campanha. Um candidato a prefeito prometeu se eleito fosse( e foi) concluiria a obra. Mas a única 'conclusão' foi a instalação de uma segunda placa com mudanças no valor e data da obra.


A nova placa informava um novo valor da obra,R$ 6.001.080.25( SEIS MILHÕES, UM MIL, OITENTA REAIS E VINTE E CINCO CENTAVOS.). Com inicio no dia 10 de setembro de 2013 e o prazo de conclusão 360 dias. De acordo com publicação no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Amazonas a nova empresa era a Beca Construções Ltda, que também abandonou a obra.


Passado esses 12 anos a obra foi extinta e o local onde foram gastos mais de R$ 5 milhões de reais está tomado pelo mato. Muitos dos moradores do prosamim ganharam apartamentos do programa Minha casa minha vida.

0 comentário