Buscar
  • Adauto Silva

Governo garante aluguel social e forçar de segurança irá se manter no Monte Horebe

Wilson Lima anuncia auxílio-aluguel a famílias do Monte Horebe até que soluções de moradias sejam definidas

Governador também anunciou a construção de um complexo de segurança na área da ocupação irregular

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou o pagamento de auxílio-aluguel, no valor de R$ 600, aos moradores que serão retirados da ocupação irregular Monte Horebe e a construção de complexo de segurança pública na área, localizada na zona norte de Manaus. O processo de desocupação teve início na manhã desta segunda-feira (02/03) e tem como prioridade o atendimento social das famílias que moram no local. “Nós vamos pagar um valor de R$ 600 para essas famílias até que se encontre uma solução definitiva de moradia para elas; seja a doação de um lote, através de estudo se essa família tem ou não condição de fazer a construção de uma casa, seja através da entrega de um apartamento ou outra solução em consenso entre Governo do Estado e as famílias”, explicou o governador, durante entrevista coletiva antes da solenidade de posso do novo defensor público geral do Amazonas, Ricardo Paiva, no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A operação é resultado de meses de planejamento pelas forças de segurança do Estado e tem como diferencial o respeito à dignidade humana na retirada das famílias, que passarão por triagem com o objetivo de garantir soluções de moradia adequadas a cada caso. “Nenhuma família que mora no Monte Horebe ficará desamparada. As famílias que estão morando naquela área, inclusive tiveram suas casas preservadas, aquelas casas onde havia famílias, objetos, foram preservadas. As estruturas que foram derrubadas eram estruturas que não havia nenhum tipo de habitação, nenhum objeto que caracterizava a moradia de alguém. Muitas dessas estruturas eram utilizadas pelo tráfico de drogas, usadas por oportunistas que trabalham nessa indústria da invasão e essas estruturas foram derrubadas”, destacou Wilson Lima. “A nossa preocupação é desocupar aquela área, porque não tem condições das pessoas continuarem morando ali, porque não há as mínimas condições de sobrevivência, como energia elétrica, mobiliário urbano, assistência médica, educação”, completou. *Complexo de segurança* – O governador ainda anunciou a construção de um complexo de segurança pública na área, que irá beneficiar também aos moradores do conjunto Viver Melhor. “Então nós vamos desocupar aquela área para dar dignidade a essas pessoas e na sequência nós vamos dar uma destinação para aquela área. Ali vai ser montado pelo Governo do Estado um complexo de segurança pública, para dar tranquilidade para quem mora ali no Viver Melhor e começar a resolver definitivamente as ocupações irregulares que acontecem na zona norte da capital”, assegurou Wilson Lima.

Governo do Amazonas garante aparato de segurança até o final do processo de desocupação do Monte Horebe

O Governo do Amazonas vai manter o aparato de segurança no Monte Horebe durante todo o processo de desocupação da área, iniciada na manhã desta segunda-feira (02/03). “O Estado entrou com todo o aparato de segurança e nós só vamos sair daqui quando a área estiver desocupada. As pessoas que estão aqui têm agora a garantia de que o tráfico não estará mais aqui. Todas as forças do Comando de Policiamento Especializado permanecem aqui na área, bem como as Cicoms, que também fazem o policiamento dessa área”, garantiu o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates.

Ao todo, 700 policiais estão atuando na operação, com a montagem de barreiras em pontos estratégicos a partir do trabalho já realizado pelas equipes de inteligência das forças de segurança. Segundo o secretário de segurança, o aparato policial também estará à disposição para assegurar o trabalho dos servidores do Governo do Estado que estão atuando na área social da desocupação. Este atendimento está sendo realizado por 180 servidores, sob a coordenação da Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas), Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) e Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM). “Essa ação social do Governo está tendo o apoio da segurança pública, nós viemos na frente para garantir que os funcionários da área social pudessem entrar e fazer o trabalho de cadastramento das famílias. Não houve nenhum incidente. Eles (comunitários) estão colaborando com a ação, já entenderam que realmente é uma ação social. As equipes estão fazendo o cadastramento, de maneira que está tudo dentro do previsto”, explicou Bonates. “As pessoas vão ficar aqui até que o projeto social seja concluído. Não tem prazo para encerrar, enquanto o social estiver trabalhando, nós estaremos aqui garantido a permanência de todos eles”, completou. Prisões – O secretário da SSP-AM explicou que, no início da operação de desocupação, ocorreram prisões de dois traficantes identificados anteriormente e que, inclusive, estavam incitando a população contra os servidores do Governo. O secretário explicou ainda que o trabalho de monitoramento prévio da área detectou que traficantes cobravam até R$ 40 dos moradores por cada lote de terra, além de serviços como taxas de água e luz. O secretário Louismar Bonates reforçou ainda que o policiamento na capital continua sendo feito normalmente. “A população pode ficar tranquila, o policiamento da cidade continua normal e ainda contando com reforço em determinadas áreas onde a gente sabe que são áreas mais críticas. Esse policiamento que está aqui é da área especializada apenas com reforço da área administrativa que veio pra cá pra dar apoio”, reforçou. Fotos: Tácio Melo/Secom

0 comentário