top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Estiagem: FVS-RCP alerta para doenças comuns no período das vazantes

Doenças monitoradas incluem os casos de hepatite A, leptospirose e doenças diarreicas aguda

 

A Fundação de Vigilância em Saúde – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado e Saúde do Amazonas (SES-AM), alerta, nesta segunda-feira (02/10), para medidas de prevenção para evitar as doenças no período das vazantes no Amazonas, como hepatite A, e leptospiroses e doenças diarreicas aguda.


 

De acordo com o monitoramento dos dados do Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVE) da FVS-RCP, no período de janeiro a agosto de 2023, foram confirmados 18 casos de Hepatite A, contra 15 casos confirmados da doença no mesmo período, no ano passado.


 

Em relação à leptospirose, foram 24 casos confirmados até agosto de 2023, e 48 casos da doença em 2022, o que significa uma redução de 66,7% de casos. 


 

Durante a descida dos rios, a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, ressalta a importância da prevenção destas doenças, principalmente, nas comunidades mais atingidas pela estiagem no Estado.


 

“Estamos em plena execução do plano de contingência de vigilância em saúde para o enfrentamento à estiagem, junto com as secretarias municipais de saúde, para diminuir o risco de emergência de saúde pública na população”, destaca a diretora Tatyana.


 

O chefe de Departamento da Vigilância Epidemiológica da (DVE) da FVS-RCP, Alexsandro Melo, explica que, além de doenças de notificação compulsória como hepatite A e leptospirose, o órgão monitora através da rede sentinela as doenças diarreicas agudas.  


 

“Alertamos a população para procurar a unidade de saúde, caso apresente os sintomas como diarreia, febre, vômito. O atendimento precoce evita casos graves e até óbito pela doença”, salienta o chefe de DVE, Alexsandro Melo, e disponibiliza o último informe sobre o assunto no link https://abrir.link/QZIJ2.

 

Medida de Prevenção

 

O uso do hipoclorito de sódio é utilizado para tratamento domiciliar da água de consumo humano e recomendado principalmente, neste período da vazante, com a finalidade de melhorar a qualidade da água e prevenir doenças de veiculação hídrica.

 

O produto é distribuído para pessoas que não têm acesso ao serviço de água tratada, de forma gratuita, pelas secretarias municipais de saúde do interior.

 

De acordo com os profissionais de saúde, para o tratamento da água para consumo humano recomenda-se colocar 2 gotas de hipoclorito de sódio de concentração a 2,5%, para cada 1 litro de água.

 

0 comentário

Comments


bottom of page