top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Em um mês, Prato Cheio serve 430 mil refeições gratuitas em municípios afetados pela estiagem

Restaurantes populares de municípios em situação de emergência foram isentados do pagamento simbólico de R$ 1

 

Em um mês de isenção do valor simbólico de R$ 1, nos restaurantes populares do programa Prato Cheio, foram servidas 430 mil refeições gratuitas às famílias afetadas pela estiagem no Amazonas. A isenção do valor foi anunciada pelo governador Wilson Lima, no dia 28 de setembro, e inclui as unidades do Prato Cheio dos municípios em situação de emergência devido à seca.


 

A medida alcança os restaurantes populares de 15 municípios, além da capital amazonense. Criado pelo Governo do Amazonas, o programa Prato Cheio é gerido pela Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e tem o objetivo de combater a insegurança alimentar em todo o estado. De acordo com a secretária da pasta, Kely Patrícia, a medida visa melhorar a vida das pessoas atingidas pela estiagem.


 

“A isenção do valor de R$ 1, determinada pelo governador Wilson Lima, vem para amenizar os impactos causados pela seca às famílias em situação de vulnerabilidade. Além das refeições gratuitas, ainda temos as cozinhas populares que servem sopa já de forma gratuita”, ressaltou a secretária.


 

Para a dona Francisca Silva, de 60 anos, a gratuidade das refeições ajuda a economizar nas compras da casa e garante alimentação a quem necessita. “Está sendo ótimo. É bom porque dá para economizar no rancho de casa e muitas pessoas também nem tem esse valor de R$ 1 para almoçar, a fome dói. Sou muito grata pelo programa”, disse dona Francisca.


 

Ao todo, 15 restaurantes populares do interior e 17 da capital têm isenção na cobrança de R$ 1 real por refeição. Os municípios com isenção são: Manacapuru, Autazes, Barreirinha, Itacoatiara, Tefé, Parintins, Humaitá, Manicoré, Carauari, Boca do Acre, Novo Airão, Tapauá, Nhamundá, Pauini e Eirunepé.



0 comentário

Comentarios


bottom of page