Buscar
  • Adauto Silva

CRUÉIS: Dois crimes com requintes de crueldade marcaram o 1° domingo de 2020

Dois homicídios com requintes de crueldade mataram dois jovens de 25 e 26 anos, aumentando a estatística de crimes supostamente cometidos por ordem do tribunal do crime, os conhecidos "acerto de conta" ( quem não paga dívida morre). O que é pior; a maioria desses homicídios são cometidos por outros devedores, pessoas que agem a serviço do crime com ações dessa natureza, para quitarem suas dívidas e se livrarem da eminente morte.

Crueldade I Na manhã deste domingo, 05/01, o corpo de Matheus Carmo dos Santos, 25, foi encontrado morto, em uma área de mata do bairro Tarumã, zona oeste de Manaus. O crime ocorreu a 50 metros da Estrada da Floresta, mais conhecida como “Estrada da Vivenda Verde”, onde funciona um clínica de reabilitação de dependentes químicos, onde segundo parentes da vítima, ele tentava a pouco mais de um ano se reabilitar do vício das droga. O que chama atenção no caso é que Matheus é mais uma suposta vítima do tribunal crime. As marcas da crueldade e tortura deixadas no corpo da vítima levam a crer que trata-se de acerto de contas. Uma testemunha wue teve a identidade preservada contou qie Matheus estava na frente do centro de reabilitação na madrugada, quando foi rendido e arrastado por dois homens. A vítima foi torturada e agredida com várias pauladas na cabeça. Por conta das agressões, os olhos e a arcada dentária foram arrancados. Os criminosos fugiram sem serem identificados.

Crueldade II Em Manacapuru o corpo de Arielson Moraes de Araújo (26), foi encontrado na manhã deste domingo, 05/01, na praia que fica no meio do Rio Solimões em frente ao Município de Manacapuru.

Segundo parentes da vítima, Arielson estava desaparecido desde a ultima sexta-feira 03/01, quando foi supostamente sequestrado no Bairro de São Francisco por homens ainda não identificados. A vitima supostamente foi sequestrado e depois foi torturado de forma macabra até a morte. O corpo apresenta sinais de tortura, como pauladas, asfixia e perfurações por ferramenta pontiaguda.

0 comentário