Buscar
  • Adauto Silva

"Crime que o crime não perdoa": Tio que estuprou a sobrinha indígena de 11 anos foi morto na cadeia



O tio que participou no estupro coletivo e morte da sobrinha, em Mato Grosso do Sul, foi encontrado morto dentro do presídio estadual de Dourados nesta quinta-feira, dia 12.



Além dele, outros quatro envolvidos nos crimes tinham confessado seus atos.


Elinho Arévalo foi preso no dia anterior, junto com Leandro Pinoza, de 20 anos. Os demais são adolescentes e, portanto, foram conduzidos para a Unidade Educação de Internação, também em Dourados.



À polícia, Elinho admitiu ainda que abusava sexualmente da criança desde que ela tinha 6 anos. Por ter sido mantido afastado de outros presos, a suspeita é que ele tenha cometido suicídio. O caso será investigado.


O crime Dois adolescentes teriam sido os responsáveis por convencer a vítima sair de casa. Eles teriam levado a menina até próximo ao penhasco, na aldeia Baroró, em Dourados (MS), e a forçado ingerir bebida alcoólica. No local, ela foi abusada sexualmente diversas vezes. O corpo foi jogado de mais de 20 metros de altura. Segundo os envolvidos, a criança gritava pedindo socorro e acabou desmaiando. O tio da vítima teria presenciado a cena e participado do estupro coletivo. “Quando a vítima começou a recobrar a consciência, voltou a pedir socorro e disse que ia denunciar os autores. Por isso, eles decidiram jogá-la do penhasco para não serem descobertos”, disse a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PCMS).



As informações são de O Globo

https://oglobo.globo.com/brasil/tio-que-participou-de-estupro-morte-de-menina-indigena-encontrado-morto-em-presidio-de-ms-25153228?versao=amp&utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo&__twitter_impression=true

0 comentário