Buscar
  • Adauto Silva

Compra de vacina pela iniciativa privada: Se o governo não comprou alguém tem que comprar

Notícias@.com

Editorial


A compra de vacinas contra a covid-19 se mantém como tema de grandes discussões no cenário político e jornalístico no Brasil, só que agora com sentido adverso. Enquanto antes se discutia o descaso do governo federal em não ter adquirido a vacina na hora certa e em quantidade maior; hoje entrou em pauta a discussão do tema: "compra de vacinas pela da iniciativa privada".



O que para muitos é visto como um estímulo para os fura filas, para outros é a chance de aumentar, antes da terceira onda da doença no Brasil, o número de imunizados no País. A prova dessa segunda linha de raciocínio pode ser comprovada na obrigatoriedade que se está colocando em lei, de doação de 50% das vacinas compradas para o SUS.



Vale destacar aqui que essa doação ao SUS, que parece uma forma de compensar o direito da aquisição da vacina, podendo quem tem poder aquisitivo imunizar a si e aos seus, mais parece uma forma de transferir responsabilidade social, para a iniciativa privada, além de lhe incumbir o dever de cuidar se uma questão de governo.



Para os que veem a medida como um privilégio, é bom observar que inúmeros são os privilégios que a classe 'A' já usufrui, e muitas vezes as classes 'C e D', só ajudam a aumentá-los, então não seria esse um privilégio, e sim, apenas mais um. Porém, caso das vacinas, é bom destacar que cada pessoa vacina pela iniciativa privada, será uma a menos para se imunizar no sistema público.



Pela medida de aprovação da compra da vacina que se molda no Congresso, a iniciativa privada terá o direito a vacinar os seus, caso queira, porém terá o dever de patrocinar a imunização da mesma quantidade de pessoas do sistema SUS. Quem sabe com essa medida estaremos tirando milhares de pessoas da nossa frente, na fila da tão sonhada imunização contra a covid-19 pelo SUS.



Toda essa discussão que já rola nos bastidores desde a negativa do governo de adquirir o imunizante, tomou maior fôlego nesta terça-feira, 06/04, quando a Câmara dos Deputados aprovou por 317 votos a 120, o texto-base da proposta que permite à iniciativa privada comprar vacinas contra a Covid-19 para a imunização gratuita de seus empregados, desde que doe a mesma quantidade ao Sistema Único de Saúde (SUS).


A votações dos destaques que podem alterar o texto vai prosseguir nesta quarta-feira (7), em sessão do Plenário marcada para as 13h55.


É aguardar pra ver!




0 comentário