top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Com 14 novos casos em 2023 Manacapuru lidera o ranking de HIV/AIDS entre os municípios do Amazonas


Com 14 novos casos em 2023 Manacapuru lidera o ranking de HIV/AIDS entre os municípios do Amazonas. De acordo com o Sinan/MS entre 1980 e 2023, Manacapuru tem registro de 295 casos de Aids.

A secretaria Municipal de Saúde de Manacapuru realizou nesta sexta-feira 01 de dezembro um dia de ações de Saúde na Praça do Rodoviária do município.



A ação de Saúde foi feita em alusão ao dia mundial de combate a AIDS.

Quem passou pelo local, pode fazer exames rápidos para detecção das DSTs, consulta médica, exames de glicemia, aferição de pressão artérias, vacinação e tratamentos fisioterapeutas.



Segundo o secretário municipal de saúde Rodrigo Balbi o evento além de prestar os atendiemetos teve como principal objetivo chamar atenção para as ISTs.


Balbi falou dos novos casos de Aids que deixam Manacapuru no topo do Ranking da doença no interior do estado



CASOS DE DST/AIDS EM MPU

2023 - 14 casos diagnósticados

294 casos pelo Sinan/MS no período de (1980/ 2023)



O Dia Mundial de Combate à AIDS ou Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, internacionalmente definido como o dia 1° de dezembro, é uma data voltada para que o mundo una forças para a conscientização sobre a Síndrome da imunodeficiência adquirida


Homens de 26 a 29 formam o grupo mais vulnerável à doenca

Dados do Ministério da Saúde indicam que o país vem registrando queda nos casos de HIV/aids, mas não entre homens de 15 a 29 anos. Nesta faixa, o índice tem aumentado, chegando, em 2021, a 53,3% dos infectados de 25 a 29 anos.



Os números da pasta também registram crescimento dos casos de sífilis em homens, mulheres e gestantes.

No mês em que se realiza a campanha Dezembro Vermelho, iniciativa de conscientização para a importância da prevenção contra o vírus HIV/aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) alerta que, se não tratadas, essas infecções podem causar lesões nos órgãos genitais, infertilidade, doenças neurológicas e cardiovasculares e até câncer como o de útero e de pênis.



Ao longo do mês de dezembro, a sociedade médica esclarece as principais dúvidas envolvendo as ISTs por meio de liveposts e vídeos em seu perfil nas redes sociais

0 comentário
bottom of page