top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Carnaboi 2023: evento tem espaço para pessoas com deficiência

Evento acontece neste sábado e domingo no Centro de Convenções de Manaus

 

Encerrando as ações nos eventos carnavalescos deste ano, o Governo do Amazonas, por meio das Secretarias de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e Cultura e Economia Criativa, disponibilizou um espaço acessível exclusivo para Pessoas com Deficiência (PCDs) no Carnaboi 2023. Além disso, as equipes estão trabalhando na conscientização para o combate às violações de direitos humanos. 

 

Neste sábado (25/02), o espaço acessível, localizado no Bloco H, atraiu os torcedores do Garantido e Caprichoso para o Centro de Convenções de Manaus, Sambódromo. O local é personalizado, com proteção para chuva, banheiro exclusivos, águas disponíveis e intérprete de libras, além de equipes multiprofissionais dando o suporte e acompanhamento durante o evento.

 

A dona de casa Silvia Maria Peixoto, de 64 anos, marcou presença mais uma vez com a filha, que é usuária de cadeira de rodas. "Não é o primeiro ano que eu venho com a minha filha. Quando ela me pede para trazer eu venho porque é uma festa do povo, é com segurança. É a Polícia Civil aqui, os Bombeiros e até o Ministério Público também. É uma festa do povo, que o Governo e a Prefeitura liberaram para gente", afirma. 

 

Para ela, outro atrativo é que o espaço acessível se torna familiar. "Eu gosto daqui porque é familiar. Tem os cadeirantes, colegas da minha filha e muita gente jovem, sadia, idosos, então eu curdo junto com ela", destacou Maria Peixoto. 

 

Na primeira noite, 38 PCDs acessaram o espaço. Além da área exclusiva, a Sejusc está disponibilizando uma van para fazer o transporte da Vila Olímpica até o Sambódromo. 

 

Ações educativas 

Mantendo as atividades realizadas desde o início do mês tanto em eventos do Governo do Estado quanto privados, a Sejusc mobilizou uma equipe com mais de 50 técnicos para orientar e conscientizar os brincantes sobre os cuidados necessários para evitar violações de direitos humanos. 

 

Segundo a secretária titular da pasta, Jussara Pedrosa, o trabalho foi voltado para prevenir importunações sexuais às mulheres e também evitar a entrada de crianças menores de 12 anos e adolescentes desacompanhados. 

 

"A Sejusc está presente com toda a rede de proteção. Estamos com a Secretaria Executiva da Mulher trabalhando para evitar a importunação sexual, como também com as crianças e adolescentes. Vale ressaltar que crianças não entram e a partir de 12 anos somente acompanhados dos pais com documento de identificação", ressaltou Pedrosa. 


0 comentário

Comments


bottom of page