top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Brasileiro fujão que mobilizou 500 agentes do FBI e Polícia da Pensilvânia, foi recapturado hoje


O brasileiro Danilo Cavalcante, que estava foragido desde 31 de agosto, depois de fugir de prisão perpétua de um presídio nos USA, por matar sua ex-namorada, foi preso novamente nesta quarta-feira, 13.



Danilo Cavalcante, de 34 anos, fugiu da prisão do condado de Chester, nos Estados Unidos, em 31 de agosto.



A captura encerra buscas de duas semanas por Cavalcante. O Brasileiro escapou do centro da penitenciária do condado de Chester, no estado de Pensilvânia, em 31 de agosto, quando aguardava para ser transferido para outro centro de detenção



Cerca de 500 agentes da lei – incluindo membros da Polícia do Estado da Pensilvânia, do FBI e dos US Marshals – participaram das buscas pelo fugitivo.



Danilo Cavalcante foi condenado a prisão perpétua em agosto pelo assassinato de Deborah Brandão, sua ex-namorada, na frente dos filhos dela, que tinham 4 e 7 anos na ocasião. A mulher foi esfaqueada 38 vezes durante o crime que ocorreu em abril de 2021.



O caso do brasileiro Danilo

fez lembrar, Lázaro Barbosa de Souza, de 32 anos. Brasileiro que ficou conhecido como "serial killer" e maníaco do Centro-Oeste após ser acusado de pelo menos oito assassinatos e diversos outros crimes.



Nos dois casos envolvendo dois brasileiros, que tiveram repercussão mundial, a diferença foi a captura. Danilo apesar de estrangeiro, foragido de um presídio da Pensilvânia, e estar nas mesmas condições de Lázaro a época, foi capturado pela polícia Americana e levado de volta para cumprir sua pena. Já Lázaro Barvosa foi capturado e morto com dezenas de tiros, ele era procurado pela polícia brasileira.



As buscas por Lázaro se iniciaram no dia 9 e duraram até 27 de junho de 2021.


Durante a caça, diversos moradores da região afirmaram ter visto o suspeito. Após 20 dias de perseguição, Lázaro foi capturado e morto por policiais com dezenas de tiros no dia 28 de junho de 2021, no interior de Goiás.



0 comentário

Comments


bottom of page