Buscar
  • Adauto Silva

Baixo índice de vacinação de crianças contra covid-19 preocupa autoridades de saúde do Amazonas


Menos de 30% das crianças tomaram vacina contra Covid-19 no Amazonas


Cobertura vacinal representa 27,6% nessa faixa etária



A Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (SES-AM), por meio da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), divulga, nesta sexta-feira (04/03), atualização da vacinação contra Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos no Amazonas. Conforme o Programa Nacional de


A vacina é a proteção que temos para impedir que as crianças sejam acometidas pela Covid-19 e suas sequelas”, afirma Tatyana.

MUTIRÃO DE VACINAÇÃO


O município de Manacapuru realiza neste sábado, 05, mutirão de vacinação visando aumentar os índices de imunização contra a Covid-19.


Segundo o PNI/MPU o público alvo são as crianças acima de 5 anos de idade. A volta às aula presenciais na rede pública de ensino do município motivou a ação, visando não aglomer crianças nos postos de vacinação buscando a imunização, além de oportunizar os pais de levarem seus filhos no sábado ao posto de imunização.


As vacinas estarão disponíveis para crianças e adultos ainda não vacinados ou com vacinas atrasadas contra a Covid-19, no Sesc/MPU de 9 às 16 horas.



Imunização (PNI), 156.199 doses foram aplicadas em todo estado até quinta-feira (03/03) e representa 27,6% de cobertura vacinal nesse grupo etário.

As informações são repassadas pelas secretarias municipais de saúde dos municípios, responsáveis pela divulgação e são consolidadas junto à FVS-RCP.



São 566.591 crianças estimada nessa faixa etária, isto é, 410.392 (72,4%) crianças ainda não receberam dose da vacina contra a infecção. A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, destaca que é de suma importância que os pais ou responsáveis levem as crianças aos postos de vacinação para reduzir as chances de agravamento da Covid-19 nas crianças.

“As chances de internação em crianças de 5 a 11 anos que já se vacinaram são muito menores em relação aos não vacinados da mesma idade. A vacina é a proteção que temos para impedir que as crianças sejam acometidas pela Covid-19 e suas sequelas”, afirma Tatyana.



Sequelas

A infectologista pediátrica Solange Dourado, coordenadora do Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais (Crie), coordenado pela FVS-RCP, ressalta que, com menos risco de agravamento dos casos, a criança tem reduzida as chances de apresentar sequelas pós-Covid-19.

Segundo Solange, a variante Ômicron tem apresentado sintomas distintos das variantes anteriores, levando a quadros de infecções em vias aéreas, ou seja, nariz, garganta e até mesmo os brônquios.



“Mais adiante, essa criança ainda mantém sintomas, como dor de cabeça e mal-estar, o que chamamos de Covid longa. Além disso, existe a síndrome inflamatória multissistêmica, que pode se apresentar entre duas a quatro semanas após a Covid, podendo levar a quadros mais graves”, alerta Solange.



Vacinômetro

Dados parciais do Programa Nacional de Imunização (PNI) apontam que 6.398.838 doses foram aplicadas em todo o estado até quinta-feira (03/03), sendo 3.018.217 de primeira dose, 2.431.804 de segunda dose, 59.800 com dose única, 888.450 de 1ª dose de reforço e 567 de 2ª dose de reforço. A informação está disponível no site da FVS-RCP –

0 comentário