Buscar
  • Adauto Silva

Amigos e Parentes prestam últimas homenagens ao professor Didi

O corpo do professor Ednelson está sendo velado na Igreja Nossa Senhora de Fátima, no bairro da Liberdade, em Manacapuru. Às 8 horas da manhã desta quinta-feira será celebrada missa de corpo presente e o sepultamento está marcado para às 10 horas da manhã no cemitério São Francisco de Assis.

O CASO

O Professor Ednelson Sota 33 anos, morreu na manhã desta quarta-feira, 03, vítima de parada cardíaca. O professor Didi, como era chamado por seus amigos estava internado no Hospital Tropical em Manaus, após contrair um caso raro de varicela, conhecida como Catapora Hemorrágica. Jucileide Costa, tia da vítima falou sobre o surgimento da doença. "Foi tudo muito rápido, apareceu uma bolhas na cabeça dele e logo foi aparecendo mais .... Depois de ter passado duas vezes pelo hospital Lázaro Reis e ter voltado pra casa após ser medicado, Didi piorou no fim de semana e nesta segunda-feira, foi encaminhado ao hospital Tropical. Na noite do mesmo dia foi encaminhado ao hospital Tropical, onde foi internado na UTI e só saiu de lá na manhã desta quarta-feira, já sem vida. Segundo a mulher de Ednelson, a equipe médica informou à família que além das complicações causadas pela catapora, Didi adquiriu uma bactéria que teria contribuido para o agravo da doença. Didi deixa esposa, a Conselheira Leila Valente e um filho de um ano. Ednelson foi internado na sexta-feira, 29/11 no hospital de Manacapuru e diagnosticado com a doença, já em estado que a catapora tinha afetado os órgãos do professor. Encaminhado para Manaus, Dida não conseguiu vencer a luta contra a doença e morreu nesta manhã. Didi deixa esposa, a Conselheira Leila Valente e um filho de um ano.

0 comentário