top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdauto Silva

Amazonas participa de reunião com ministra dos Povos Indígenas para ampliar políticas públicas

O encontro faz parte de uma agenda durante a 19ª edição do Acampamento Terra Livre, em Brasília

 

Para tratar de ações voltadas ao desenvolvimento sustentável dos povos originários, nesta semana, o diretor-presidente da Fundação Estadual do Índio (FEI), Sinésio Trovão, e o diretor administrativo-financeiro, Vanderlei Alvino, participaram da reunião extraordinária na sede do Ministério dos Povos Indígenas (MPI) com a ministra da pasta, Sônia Guajajara, em Brasília.

O encontro tem como foco estabelecer um diálogo ampliado para construir ações de criação de novas políticas públicas voltadas para os povos indígenas do Amazonas.

 

Além disso, a reunião fez parte da agenda dos representantes da FEI durante a realização da 19ª edição do Acampamento Terra Livre (ATL), a maior assembleia dos povos indígenas brasileiros que ocorre no período de 24 a 28 de abril.

 

No evento, o diretor-presidente participou da plenária composta por autoridades indígenas e destacou os principais trabalhos, desafios e ações que o Governo do Amazonas vem realizando, por meio da FEI, com a população indígena do Estado.

 

“O Amazonas tem a maior população indígena do Brasil. E acreditamos que a união entre os Governos Estadual e Federal ajudará a criar políticas públicas eficientes e importantes para os nossos parentes indígenas, por isso vamos manter a conversa ativa sobre as nossas comunidades com a Sônia e o seu ministério”, afirmou Sinésio.

 

No encontro com a ministra, Trovão também falou sobre a nova nomenclatura da Fundação Estadual do Índio (FEI), que aguarda a aprovação no Poder Legislativo do nome de Fundação Estadual dos Povos Indígenas do Amazonas (Fepiam). A medida tem como finalidade corrigir uma repartição histórica, no qual, a palavra índio é pejorativa e soa de forma preconceituosa.

 

O diretor administrativo-financeiro da FEI, Vanderlei Alvino, ressaltou que com essa alteração no nome, pôde-se reiterar o respeito com os povos tradicionais.

 

“Queremos que os nossos parentes indígenas sejam respeitados e valorizados pelo Estado ao propormos a alteração do nome da nossa Instituição, esse é um dos exemplos do avanço no processo de ampliação da cidadania indígena que eles têm direito”, reitera Alvino.

 

Na ocasião, a ministra dos povos indígenas, Sônia Guajajara parabenizou a iniciativa do Governo do Estado e reforçou o seu apoio à fundação para elaboração de novos projetos e ferramentas, os quais fortalecem o etnodesenvolvimento no Estado.

 

“É muito importante que todos entendam que, para além da luta pelo nosso território, a luta também é pelo reconhecimento ao nosso modo de vida e pela democracia”, enfatizou Guajajara.

 

Sobre a FEI

 

Com sete anos de existência, a Fundação Estadual do Índio (FEI) é um órgão integrante da Administração Indireta do Poder Executivo e está vinculada à Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc). E tem como objetivo coordenar e executar as políticas públicas indigenistas de etnodesenvolvimento sustentável e a preservação dos valores étnicos, culturais e históricos no estado do Amazonas.

0 comentário

Comments


bottom of page