Buscar
  • Adauto Silva

Alopecia: saiba mais sobre a perda de cabelos repentina em mulheres. Doença gerou Polêmica no Oscar




Considerado um dos problemas mais relacionados à perda de cabelo ou pêlo entre homens e mulheres seja em qualquer parte do corpo, a alopecia, pode ser ocasionada por influências genéticas, processos inflamatórios locais ou doenças sistêmicas.



A esposa do ator Will Smith sofre com um dos casos mais brandos da doença



A alopecia areata, é um dos tipos mais comuns da doença, ela ocorre quando as células começam a atacar o próprio organismo.


Acredita-se que ela atinge aproximadamente 2% da população mundial em diferentes níveis, afetando desde pequenas áreas do couro cabeludo ou da barba, por meio de lesões circulares, ou até causando a completa ausência dos fios em todo o corpo.



Já alopecia androgenética, é aquela que provoca o afinamento progressivo dos fios, mesmo sendo mais recorrentes em homens, a doença também afeta uma boa parte das mulheres, estima-se no mundo que 5% delas tenham alopecia androgenética. Com sintomas, que costumam ser mais discretos, como perda capilar na região central do couro cabeludo, os períodos de queda intensa podem ter relação com irregularidade menstrual, acne ou obesidade.



O dermatologista do Sistema Hapvida, Diogo Pazzini, explica como a doença se desenvolve e quais seriam os seus primeiros sintomas.


“Primeiramente, é preciso entender que alopecia não é o nome de uma única doença com perda de cabelo. Existem vários tipos de alopecia. Por exemplo, alopecia androgenética, areata, frontal fibrosante, de tração, etc. A doença pode variar, desde uma única placa com perda de cabelo (esse, geralmente, é o sinal inicial) até quadros mais graves, podendo deixar a pessoa careca e perder, inclusive, todos os pelos do corpo”.


 

Veja também

Perigo no reto: ‘Entrei em pânico’, relata mulher após ter sido internada com vibrador preso no reto

https://v.gd/VqscL7

Notícias@.com

 

O médico ainda destaca que apesar de constante, é possível diminuir o avanço das perdas dos fios, através de medicamentos e tratamentos específicos com profissionais da saúde. “Tem tratamento sim, com medicamentos orais, tópicos e injetáveis, os imunobiológicos também podem ser indicados, de acordo com cada caso. Mesmo a doença sendo determinada geneticamente, é possível prevenir os gatilhos, que são os desencadeantes, como traumas físicos, infecções e condições emocionais (estresse). Outra dica é procurar o dermatologista logo no início para perceber o problema, porque é reversível. O cabelo pode voltar a crescer, pois os folículos pilosos não foram destruídos, apenas estão inativos pela inflamação”.

Polêmica no Oscar

O caso que ganhou bastante repercussão nos últimos dias foi envolvendo a atriz Jada Pinkett Smith, durante a última cerimônia do Oscar 2022. Na ocasião, um dos apresentadores do evento, Chris Rock, teria feito uma piada sobre o corte de cabelo da atriz. Jada precisou raspar a cabeça por conta de um caso grave de alopecia areata, a doença autoimune e inflamatória, leva a perda de áreas circulares de falhas de cabelo ou pêlos (sobrancelhas e cílios).


Após ouvir o comentário, o marido da atriz, Will Smith, subiu no palco, e deu um tapa na cara do comediante, o ocorrido gerou vários comentários nas redes sociais reprovando ambas as atitudes.

0 comentário